Momenti di poesia. DAL POZZO DEL SILENZIO HO ATTINTO UN CANTO, di Gianni Regalzi

 

Dal pozzo del silenzio ho attinto un canto

che muto al vento urla il suo dolore.

Null’altro reca l’eco che il mio pianto

e spegne ad ogni fiore il suo colore.

È un canto d’armonie intense e lente;

bagliori d’un amore tormentato,

che ancor sconvolge tutta la mia mente,

ma inesorabilmente è tramontato.

Un tempo non lontano avevo un fiore

che all’arido mio tempo dava un senso

ed io lo coltivavo col calore

che emana dal turibolo l’incenso,

ma il Fato ha fatto sì che quell’ardore,

non abbia rivelato a “Lei” l’immenso.

Alessandria, 20 Novembre 2006

Gianni Regalzi

Traduzione in brasiliano di

Joao Francisco Carvalho

 

DO FUNDO DO SILÊNCIO FIZ UMA CANÇÃO (Gianni Regalzi)

Do fundo do silêncio eu fiz uma canção

que o vento mudo uivava sua dor.

Nada traz o eco que as minhas lágrimas

Que fora em cada flor a sua cor.

É uma canção de harmonias intensas e lentas;

flashes de um amor atormentado,

que ainda perturba toda a minha mente,

mas certamente bem definida.

Não muito tempo atrás eu tinha uma flor

Que ávido ao meu tempo deu uma sensação

que eu cultivada com calor

que emanava como um turíbulo de incenso,

Mas o destino fez com que ardor,

não revelara “sua” imensidão.

Alexandria, 20 de novembro de 2006

(Da coleção “Poemas de Amor”)